terça-feira, janeiro 29, 2013

Ontem eu perdi meu melhor amigo

Foram quase 15 anos de amizade...

Sim ele era ranzinza e temperamental, mas também era a criatura mais carinhosa, o melhor amigo que um ser humano pode ter.

Ele era mimado, tudo era dele, o brinquedo era dele, a mãe era dele, o sofa era dele, a minha gaveta era dele, a Genie era dele (a não ser que ela quisesse algo que era dele), a minha mão também era dele, e ai de quem tentasse tirar, levava uma mordida. Adorava dormir nos nossos pés, o problema era que se nos mexessemos era uma mordida na certa, então imagina dormir na mesma posição a noite toda ou no mínimo ter que prestar atenção se ele estava entre nossos pés?!

Mas por outro lado ele sempre foi o mais carinhoso e companheiro. Como vou sentir falta dos milhares de beijos que eu não queria mas ele dava assim mesmo. Ou de quando eu falava "Francisquinho limpa minha orelha, e ele lambia até o cérebro (sim, parece nojento, mas era o carinho dele), ou quando ele deitava do nosso lado e resolvia que era hora de nos dar banho, lambendo a nossa perna e olhando pra gente, até a gente falar "Tá bom, já é o suficiente, muito obrigado". Sim ele sempre foi tratado com educação, da licença, por favor e obrigado, eram palavras que ele conhecia e atendia, e era interessante como apesar dele não falar, muitas vezes ele tinha reações como se ele estivesse usando elas (Sim, meus cachorros são muito educados). Quando eu dava banho nele ele ficava lá parado me olhando como quem dissesse "Por que você me tortura?", mas não se mexia, deixada eu dar o banho, escovar os dentes e quando eu terminava falava pra ele "Não sacode agora, deixa eu pegar a toalha" e assim que ele via a toalha na minha frente me olhava como quem diz "Pode agora?" e era só eu falar "Sacode Francisquinho" e ele vinha todo rebolativo :)

Fancisquinho se colocava de castigo, nunca recebeu um gesto de violência física, ainda bebê quando ele fazia algo errado minha mãe mandava ele pra debaixo da cama de castigo, por isso quando adulto, todas as vezes que ele fazia malcriação e nos deixava um presente no meio da sala porque tínhamos saído e deixado ele em casa, assim que abríamos a porta ele baixava o rabo e a cabeça e ia direto pra debaixo da cama, não precisava nem brigar com ele. Caso precisássemos ser um pouco mais energético bastava enrolar um jornal e mostrar pra ele, apesar de nunca ter batido nele o barulho do jornal na nossa mão assustava e ele sabia que estava fazendo errado.

O brinquedo favorito dele era o Tutu, que simplesmente é a parte de dentro do rolo de papel higiênico ou papel toalha, ele amava aquilo, e eu colocava na boca e fazia o som "Tutu", ele ficava doido e andava com aquilo pra cima e pra baixo até destruir tudo.

Ele também era conhecido como "Franfresquinho" pois era cheio de frescura, principalmente com comida. Amava queijo minas, porém tinha que estar sempre fresco, depois de 3 dias de aberto se tivesse qualquer cheirinho, ele virava a cara. Isso era com qualquer comida, se o cheiro não o agradasse, ele virava a cara. Mas por outro lado era vaidoso, adorava tirar foto, era só ver uma câmera que fazia pose, amava as suas gravatas, e minha mãe tem uma coleção, era mostrar pra ele e ele enfiava a cabeça por dentro do elástico.

Tem muita história dele pra contar, mas se eu continuar escrevo um livro.

Sempre achamos que ele não iria viver muito, pois ele era muito frágil e cheio de problemas desde que nasceu. Sempre foi muito magro, não gostava muito de comer, sempre teve uns ataques que mais parecia asma. Mas ele lutou até o final, vai ver que está no sangue, pois a mãe dele também foi uma guerreira, mas no final já não dava mais. Ele já não enxergava direito, e estava surdo. A artrite lhe dava fraqueza e ficar em pé era difícil, ele se perdia pela casa e passava a maior parte do dia dormindo, como um velhinho mesmo. Viveu e morreu com dignidade, nunca iríamos permitir um sofrimento maior que ele pudesse tolerar, simplesmente porque não queríamos que ele se fosse, e na hora certa ele foi entregue de volta para poder correr na grama como ele tanto gostava! (Sim, acredito que os animais tem seu próprio paraíso, e não adiante querer me convencer do contrario). 

Sentirei muita falta do meu velho ranzinza, dos seus carinhos, suas manias, nossas longas conversas que parecia muitas vezes que ele tentava me responder (só quem conversa com cachorro sabe que eles são os melhores ouvintes e muitas vezes respondem da forma deles), mas sempre estive preparada pra esse dia, afinal como eu sempre digo, eles tem que ir antes da gente, ou quem irá cuidar deles, né?! Mas ao mesmo tempo eu agradeço por ele ter me esperado, pois eu pude me despedir dele, pude dar um último abraço, um último beijo, pude cheirar meu menino, pude cuidar nos momentos de crise respiratória (e no meio da noite), e numa dessas crises pude conversar com ele, dizer que ele podia ir, que ele não precisava sofrer mais, que tem um lugar melhor pra ele, puder agradecer por ter me esperado pra me despedir e por sido um amigo tão bom. Sei que ele estava surdo mas sei que ele ouviu ou sentiu as minhas palavras.          

Essa foi a última foto que tirei dele, ele passava seus dias assim na caminha dele dormindo, mas ainda fazia festinha cada vez que chegávamos em casa, certas coisas não mudam!

Vai em paz meu velho!  

Francisquinho
Francisco Jose - 17/02/1998 - 28/01/2013
Ele teve um AVC e estava vivo apenas por causa de medicação, infelizmente ele iria viver uma vida vegetativa, não tinha volta. Hoje ele foi enterrado no quintal da nossa casa de Paraty, lugar que ele amava, pois podia ser livre e correr, e comer grama e matar galinha com a Genie, e latir, tudo aquilo que é importante para um cachorro :)

Ainda temos a nossa Genie. A Gindoca, pelo que minha mãe me disse, não está entendendo nada, passa o dia atras dos meus pais ou procurando por ele. Dá até pena, pois lembro como ela sofria quando era separada dos filhotes. E depois dizem que bicho não sente nada!!!!

4 comentários:

Laila disse...

Que triste, Lucianna! Sinto muito...

Janaine disse...

Nossa, que triste! Era um amigão e companheiro!!
Fique bem, ta?

Deus te abençoe,
bjs

Bia Maria disse...

Impossível ler e não se emocionar.
Lamento a perda do seu Francisquinho. Também acredito que ele esteja num lugar lindo, super saudável e brincando com outros cachorrinhos.

Bjs de LuzZ!
Bia.


Daniela Santos-Hansen disse...

Ai Lu.... que triste, eu chorei lendo seu post, sei bem como é perder um amigo assim.

Que benção ele ter tido vocês para amá-lo e cuida-lo todo esse tempo, amor é a coisa mais importante na vida de qualquer ser vivo. E que benção vcs tb terem tido ele assim, é tão bom podermos amar um serzinho tão querido. Tenho certeza que ele ouviu e sentiu todo o amor nas suas palavras.

Que ele seja recebido no reinos dos céus com todo amor. Beijos e força para vc e sua família.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails